16 ago

Embraer fez voo de avião com motor elétrico desenvolvido com a EDP e a WEG

  • l3773r4
Segundo a empresa, nas primeiras avaliações em voo tripulado foram analisadas características primárias como potência, desempenho, controlo, gestão térmica e segurança de operação do avião elétrico.

O objetivo foi demonstrar em condições reais os resultados obtidos em simulação computorizada, ensaios em laboratório e integração da tecnologia em solo, que acontecem desde o segundo semestre de 2019.

“O primeiro voo de uma aeronave é sempre um marco importante, e a descolagem do nosso primeiro avião elétrico de zero emissões simboliza também a relevante contribuição das nossas equipes e parceiros para a transição energética do setor,” frisou num comunicado Luis Carlos Affonso, vice-presidente de Engenharia, Desenvolvimento Tecnológico e Estratégia Corporativa da Embraer.

“Temos o compromisso de buscar as soluções que viabilizam o futuro de uma aviação mais sustentável e a inovação desempenhará um papel fundamental nesta jornada”, acrescentou.

O projeto de cooperação tecnológica utilizou um sistema motopropulsor elétrico da WEG e um conjunto de baterias financiadas pela EDP que foram integradas em um EMB-203 Ipanema, que se tornou em 2004 o primeiro avião do mundo certificado e produzido em série para voar com um combustível de fonte renovável (etanol).

A Embraer é fabricante e líder mundial de aeronaves comerciais com até 150 assentos e tem mais de 100 clientes em todo o mundo.

A empresa brasileira mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

Em Portugal, no Parque de Indústria Aeronáutica de Évora, funcionam duas fábricas da Embraer, sendo que a empresa também é acionista da OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal, com 65% do capital, em Alverca.